Por Ludmylla 26 de janeiro de 2015

Série da vez: Mr. Selfridge

Imagine consumir moda em uma época em que as peças não ficavam expostas e praticamente tudo era feito sob medida. Uma época em que ninguém ia a uma loja apenas para “olhar”, ou “conferir as novidades”, como é totalmente natural nos dias de hoje. E imagine ainda assumir como propósito mudar isso em uma sociedade extremamente conservadora, nesse caso a de Londres, no início do século XX.

Harry Gordon Selfridge conseguiu, e com louvor(!) – um americano, que chega em Londres com sua família, disposto a mudar sua vida, abrir uma loja totalmente fora dos padrões da época e revolucionar o mercado de consumo de moda. É a história dele e a da icônica Selfridge (umas das precursoras do modelo de loja de departamento como existe hoje) que conta esta série que além de encantadora, ainda vale como uma senhora aula de marketing e branding – além de moda, claro!

A série começa com a inauguração da loja, a primeira Selfridge, aberta em 1909 e que está localizada na Oxford Street até hoje. Rua esta (a Oxford St.) que até a grande abertura da loja, não tinha nada de especial e hoje é um ícone de Londres. Nas histórias paralelas, traições e muitas intrigas, além da fofa da Agnes Towler, uma menina simples, mas cheia de romantismo, ambições e gosto apurado.

A série mostra as mudanças na forma de vender e de consumir que foram introduzidas a partir do surgimento das lojas de departamento. Dos produtos que passaram a ficar expostos, até o mix variado de produtos. Me marcou o episódio em que eles estudavam a forma de expor um perfume no mostruário, para não escandalizar os clientes – perfumes eram considerados extremamente pessoais e um segredo da mulher. Maquiagem naquela época era algo quase proibido e tinha que ficar escondido.

É genial como o roteiro aborda a moda e as formas de consumo, juntamente com as mudanças que ocorriam na política e na sociedade – como o crescimento do movimento feminista.

Mr. Selfridge é no mínimo inspiradora. Faz a gente querer correr atrás daquele sonho que às vezes fica esquecido. E ensina que um pouco de loucura talvez seja o ingrediente que falta para determinado plano ser colocado em prática, ou finalmente dar certo. Tudo isso ambientado em Londres, o que torna tudo mais fotogênico.

Terminei a primeira temporada e já vou começar a segunda, cada uma delas tem 10 episódios. E no ano passado houve renovação para ter também a terceira temporada, que rola esse ano!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Comentários
(7)

  1. Elga Mól disse:

    Ah não, Lud! Mais uma pra eu ver!!! Vou ter que parar de trabalhar pra conseguir acompanhar tanta série! hehehe… Parece ser ótima mesmo! Adorei a dica!

  2. Rayza disse:

    Lud, passa em qual canal? Ou você comprou? Beijos!

  3. Juliana Brandão disse:

    Estava mesmo procurando uma série para assistir!!

  4. Josephine disse:

    Adorei a dica :) vou começar a assistir agora